COPA: Curitiba em 2014, uma cidade melhor para os curitibanos

Projeto de revitalização da Cândido de Abreu.Ilus ...

Uma cidade muito melhor para os curitibanos é como Curitiba ficará depois de 2013. A expectativa vem das obras que a capital receberá por ser uma das sedes brasileiras dos jogos da Copa do Mundo da Fifa 2014. “O Mundial vai deixar um legado importante para Curitiba, principalmente nas questões de mobilidade. O que é bom ficará muito melhor”, afirma o prefeito Luciano Ducci.

“Se tirarmos um retrato da cidade hoje e outro no ano da Copa, será surpreendente observar a diferença. Curitiba será outra, com uma infraestrutura melhor”, diz o presidente do Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba), Cléver Almeida.

Maria Roseli Martins, de 61 anos, moradora do bairro Água Verde, e vizinha do estádio escolhido para sediar os jogos, o Joaquim Américo, acredita que a Copa vai trazer muitos benefícios e não apenas para quem mora no bairro dela e no Rebouças, ao lado.

“Sou nascida e criada nesta região e acredito que as mudanças para a Copa vão melhorar pra todo mundo. É progresso para Curitiba”, diz ela. Opinião parecida tem o dono da banca de revista instalada na praça Afonso Botelho, Daniel Barbosa Silva.
“E não é só porque trabalho na praça. Como cidadão, acho que a Copa será maravilhosa para Curitiba. Eventos como este mudam as cidades. Vai mudar Curitiba também”, diz.

Obras que vão deixar Curitiba melhor
Entre as obras que serão feitas com recursos assumidos pela Prefeitura de Curitiba dentro do PAC da Copa, estão a revitalização da Rodoviária e dos seus acessos e saídas dos ônibus, que hoje refletem no trânsito da região. Uma ligação direta da rodoviária com a avenida Comendador Franco permitirá descongestionar cruzamentos que cercam a rodoviária nas avenidas Silva Jardim, Sete de Setembro, Affonso Camargo e ruas Conselheiro Laurindo e Tibagi.

A conhecida Avenida das Torres será renovada, melhorando a ligação entre o aeroporto, localizado em São José dos Pinhais, e o centro de Curitiba, diminuindo os congestionamentos que ocorrem em importantes cruzamentos.

Outra ligação com o aeroporto e o centro da cidade – a avenida Marechal Floriano Peixoto – também receberá investimentos que vão melhorar a via tanto para quem utiliza o carro, o ônibus e até mesmo a bicicleta. Isto porque, além das obras que serão feitas com recursos do PAC, a avenida terá a primeira ciclofaixa da cidade, uma das facilidades para incentivar a utilização da bicicleta e que está prevista no Plano Diretor Cicloviário, em elaboração.

A Marechal Floriano funcionará como um acesso secundário ao Aeroporto Afonso Pena. A Prefeitura fará obras a partir da Linha Verde até a divisa com São José dos Pinhais. No município vizinho a Curitiba, onde está o aeroporto, estas melhorias terão continuidade e serão feitas com o financiamento assumido pelo Governo do Estado.

Um dos grandes projetos a favor da mobilidade é o Sistema Integrado de Mobilidade (SIM), composto por melhorias no CTA (Controle de Tráfego em Área), circuito fechado de televisão, sistemas de operação de emergências, de controle do estacionamento regulamentado (EstaR), de fiscalização eletrônica e controle de infrações e de informações ao usuário, com o uso de painéis de mensagens variáveis.

Softwares avançados e modernos equipamentos trarão melhorias ao trânsito e ao transporte coletivo, aprimorando a mobilidade em toda a cidade e também nas vias de ligação com a Região Metropolitana. O Terminal Santa Cândida, que atende a população de Curitiba e a que vem dos municípios metropolitanos ao norte da cidade, será ampliado para permitir o aumento e alargamento das plataformas.

As obras de extensão da Linha Verde, desde a altura do Terminal Pinheirinho (até onde foram feitas as obras da Linha Verde Sul) até o Contorno Sul de Curitiba, vão garantir melhorias num trecho de três quilômetros. Haverá canaleta exclusiva, vias locais e vias de tráfego de passagem.

A avenida Cândido de Abreu, no bairro Centro Cívico, terá avanços nas condições de circulação do transporte coletivo com obras que vão permitir a ampliação da capacidade da linha direta Boqueirão/Centro Cívico, além de melhorias nos passeios, com implantação de um calçadão para pedestres, modernização semafórica e da iluminação, numa extensão de 1,1km.
Obras prontas antes da Copa das Confederações
As obras que serão feitas com os recursos do PAC da Mobilidade representam uma importante fatia do que vai acontecer em Curitiba até que os jogos comecem em 2014, mas não serão as únicas. Bem antes da Copa outras obras acontecerão na cidade e vão trazer melhorias à cidade.

Muitas delas serão concluídas até 2012 e parte estará pronta antes da Copa das Confederações, em 2013. Tem ainda as obras previstas no orçamento da cidade que serão previstas e executadas a cada ano.

Obras previstas no programa Pró-Cidades (financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID) e no financiamento junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), programas que serão implantados em cinco anos, estarão concluídas antes da Copa do Mundo de 2014. E todas aquelas incluídas no financiamento assumido junto ao Governo do Estado, o Fundo de Desenvolvimento Urbano (FDU), estarão finalizadas.

As primeiras obras do Pró-Cidades já estão sendo licitadas. Este é o caso do binário formado pelas ruas Chile e Guabirotuba, nos bairros Rebouças, Prado Velho e Jardim Botânico.

Numa extensão total de 2.950m haverá obras de drenagem, pavimentação, passeio, paisagismo, iluminação, sinalização uma ponte e uma galeria. Também será implantada uma trincheira que vai permitir a ligação da rua Pergentina Silva Soares (que será implantada) à rua Chile, sob a avenida Comendador Franco (a Avenida das Torres), a mesma que será renovada com recursos do PAC da Copa.

A Fredolin Wolf também está entre as mudanças previstas até a Copa. A avenida será alargada, terá nova rede de drenagem e capa asfáltica, meio-fio, ciclovias compartilhadas, rampas de acesso para idosos e pessoas com deficiência, paisagismo, sinalização e novos abrigos para pontos de ônibus.

O projeto será implantado num trecho de 7,55km e inclui também obras nas ruas Saturnino Miranda, uma continuação da Fredolin, da rua Franciso Dalalibera à avenida Manoel Ribas, em Santa Felicidade.

No Pilarzinho, ruas que dão continuidade à Fredolin Wolf, como a Domingos Antonio Moro e a São Salvador, também serão revitalizadas, tornando a Fredolin Wolf um moderno corredor de ligação viária da região da Ópera do Arame a Santa Felicidade, pontos de grande atração turística em Curitiba.

A trincheira que vai ligar a rua Gustavo Rattman, no Bacacheri, à José Zgoda no Bairro Alto, também faz parte do programa Pró-Cidades e é uma das obras de contrapartida da Prefeitura de Curitiba. A licitação está em andamento. A trincheira fará parte do trecho norte da Linha Verde.

As próximas obras a serem licitadas são as das ruas Eduardo Pinto da Rocha, desde o Umbará, passando pelos bairros Ganchinho, Sitio cercado até o Alto Boqueirão, e a rua Desembargador Antônio de Paula, desde o Boqueirão até os limites entre o Xaxim e Alto Boqueirão. Além destas ruas, várias outras estão incluídas e serão recuperadas antes dos jogos da Copa de 2014.

Além da pavimentação de ruas, construção de trincheiras e implantação de binários, o programa prevê uma série de investimentos na área social, como a urbanização de favelas, a construção de Centros de Convivência e Centros de Referência da Assistência Social (CRAS).

O financiamento do BID terá US$ 100 milhões de investimentos (metade financiada pelo banco e metade garantida pela Prefeitura). Dividido em três componentes – Transporte e Mobilidade Urbana, Desenvolvimento Social e Habitação – o programa tem cinco anos para ser concluído.

Linha Verde Norte – Uma das obras mais importantes do financiamento da AFD é a implantação da Linha Verde Norte. Dividida em três lotes de licitação, as obras darão continuidade à transformação da rodovia (BR-476) em avenida, como aconteceu no lado sul – entre os bairros Pinheirinho e Jardim Botânico.

Desta vez, 11 bairros serão contemplados com obras (ao todo, a Linha Verde abrange 20 bairros da cidade). Também fazem parte deste financiamento as obras do Parque Linear do Barigui, ações de regularização fundiária e relocações, a elaboração da pesquisa de origem e destino, entre outras medidas. O valor total do financiamento é de 72,3 milhões de euros e, também neste caso, metade será garantida pela Prefeitura de Curitiba.

O Fundo de Desenvolvimento Urbano, financiamento do Governo do Estado também trará melhorias para a cidade bem antes dos primeiros jogos da Copa das Confederações. Uma delas é o Anel Viário, conjunto de melhorias que vão trazer ganhos à mobilidade na região em volta do centro, incluindo a área próxima ao Estádio Joaquim Américo, onde serão realizados os jogos.

Também fazem parte deste financiamento, as obras para a implantação do Laboratório Municipal, a construção das centrais de raio-x nos seis centros municipais de urgências médicas, uma unidade de saúde, um Clube da Gente (complexo municipal com piscinas aquecidas) e dois centros da juventude.

Prefeitura mobilizada na preparação da Copa

Pelo menos uma centena de funcionários da Prefeitura de Curitiba ligados a diferentes órgãos trabalha de forma concentrada para garantir que todas as etapas exigidas pelo Comitê Organizador Local, responsável pelos preparativos das 12 cidades brasileiras escolhidas para sediar a Copa do Mundo de 2014, e pela FIFA sejam atendidas em tempo.

O envolvimento de tanta gente dá continuidade ao imenso esforço feito desde 2007, quando o Brasil foi escolhido para sediar o Mundial e Curitiba encarou o desafio de disputar com outras 17 cidades brasileiras uma das vagas.

Só nos procedimentos iniciais, além da Assessoria Técnica da Copa, ligada ao Ippuc, as secretarias do Urbanismo, Saúde, Instituto Municipal do Turismo, Agência Curitiba de Desenvolvimento, Procuradoria, Comunicação Social e também o Corpo de Bombeiros buscam cumprir todas as etapas exigidas pela legislação e os compromissos assumidos. Os diversos setores da Prefeitura que estão envolvidos e as secretarias que ainda serão mobilizadas estão sob a coordenação do gestor da cidade, Luiz de Carvalho.

Além da competência técnica de cada área envolvida no projeto, ferramentas modernas são utilizadas, como os softwares que permitem fazer simulações para o estudo do fluxo de multidões para o estádio, o que deverá garantir mais conforto e melhorias nos acessos. O licenciamento urbano e ambiental do chamado Complexo Esportivo Curitiba 2014, que abrange o Estádio Joaquim Américo, a Praça Afonso Botelho, a área do estacionamento do estádio sobre a qual serão implantadas estruturas provisórias estão em andamento.

A proposta arquitetônica do estádio vem sendo adequada às exigências da FIFA e do Comitê Organizador Local e cada etapa é acompanhada pela assessoria técnica da Prefeitura. Os licenciamentos permitem que o estádio busque financiamentos que viabilizem o projeto.

Dezenas de reuniões, seminários para as cidades-sede, rodadas de negócios, debates, apresentações, negociações com Governo do Estado, Governo Federal, o Comitê Organizador Local, a FIFA e ainda o parceiro Clube Atlético Paranaense vêm ocorrendo.

Termos de Compromisso e a Matriz de Responsabilidades Copa do Mundo da FIFA 2014 foram assinados por todos os entes envolvidos. Viagens técnicas foram feitas à Copa das Confederações na África do Sul e a alguns estádios e empresas fornecedoras de produtos para estádios em países da Europa.

O evento mais recente foi o Seminário de Marketing da FIFA e Comitê Organizador Local, onde foram dadas orientações sobre a melhor maneira de aproveitar as chances de promoção e exposição da cidade, com base nos produtos e programas autorizados pela FIFA como as Fan Fest (espaços abertos ao público de onde será possível assistir aos jogos em telões), eventos oficiais, produtos e brindes.

Neste momento, técnicos do Ippuc dedicam-se à elaboração dos projetos que fazem parte do PAC da Copa conhecido também como PAC da Mobilidade, o financiamento oferecido pelo Governo Federal às cidades que sediarão os jogos no Brasil. Só Curitiba e a Região Metropolitana receberão a injeção de R$ 444,7 milhões, dos quais R$ 233,6 milhões serão financiados pelo Governo do Estado e outros R$ 211 milhões pela Prefeitura de Curitiba, que futuramente pagará pelo dinheiro que virá da Caixa Econômica Federal.

Fonte: Site da Prefeitura de Curitiba

Anúncios
Esse post foi publicado em Reportagens e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s