Audiência pública debate Copa em Curitiba

Indefinição sobre Arena da Baixada polarizou discussões na Câmara da cidade

Julio Cesar Lima* – Curitiba

Vista aérea da Arena da Baixada (crédito: Prefeitura de Curitiba)

A ampliação da Arena da Baixada para adequação à Copa de 2014 em Curitiba voltou a ser discutida na última sexta-feira (3/9), na Câmara de Vereadores da capital paranaense. Com um tom mais político – o encontro foi promovido pela bancada do PT – o alvo principal foi a lei de autoria da Prefeitura que deve chegar nesta semana à Casa e que trata de alterações na lei do potencial construtivo.

A reunião acontece duas semanas após a Prefeitura acenar com a possibilidade de investir em outras propostas de estádio, como o velho Durival Britto e Silva – cujo terreno ainda pertence ao governo federal, o que facilitaria o aporte de verbas – e o Pinheirão, no bairro do Tarumã.

Segundo integrantes do comitê, há uma preocupação sobre o destino a ser dado aos equipamentos esportivos. “Queremos saber quais as medidas a serem adotadas após a Copa e se o investimento vai ser útil para ampliar as ações públicas no esporte, no lazer e turismo, em especial envolvendo a região metropolitana”, disse o vereador Pedro Paulo.

Os vereadores da oposição avaliam que caso o Atlético Paranaense venha a receber vantagens especiais, outros clubes se acharão no direito também de obter facilidades, não apenas clubes de Curitiba, mas de todo o estado. “O clube assinou um documento, um compromisso de que iria terminar essa obra, e nele não estava prevista a alteração das normas, o auxílio do poder público. O estádio é particular e nós temos que definir hoje qual a alternativa para garantir as obras de ampliação do estádio”, lembrou Paulo.

Potencial construtivo
Sobre a proposta a ser encaminhada pela prefeitura para a mudança na lei do potencial construtivo, a tendência é que haja um grande debate para a definição. “Vamos ter algo oficial nos próximos dias. Será uma discussão polêmica. Tenho a avaliação de que a proposta significa a utilização de recursos públicos, pois o município estaria perdendo um potencial em troca de incentivos para um clube privado”, completou o vereador.

A discussão ainda promete muitos capítulos e um deles seria a entrada do Ministério Público para acompanhar todo o processo. Na opinião da bancada petista, a proposta deveria ter ao menos uma contrapartida social, com a liberação de áreas para lazer e cultura que beneficiassem toda a comunidade.

Discussão pode atrapalhar processo
“Já faz anos que se fala de Copa em Curitiba. Deixaram o tempo passar. Vim aqui por respeito a esta casa e pelas entidades representadas. Mas discutir isso em cima da hora não é produtivo e pode atrapalhar um processo que está praticamente concluído”, criticou o secretário Especial para Assuntos da Copa do Mundo, Algaci Túlio.

Algaci representou o governo do Estado na audiência. A prefeitura de Curitiba e o Atlético não enviaram representantes. A assinatura do termo de ajuste de conduta entre as três partes, com os detalhes sobre o uso do potencial construtivo e do Fundo de Desenvolvimento do Estado (FDE) nas obras da Arena ficou para ser discutida depois do feriadão.

*Com informações do Parana Online

Fonte: http://www.copa2014.org.br/noticias/5156/AUDIENCIA+PUBLICA+DEBATE+COPA+EM+CURITIBA.html, 06/09/2010

Anúncios
Esse post foi publicado em Reportagens e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s