Megaeventos: Qual o valor da Copa de 2014?

O INCT Observatório das Metrópoles divulga os dados atualizados referentes ao orçamento total das obras previstas para a Copa do Mundo de 2014. De acordo com o relatório preliminar do projeto “Metropolização e Megaevento: os impactos da Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016”, serão investidos aproximadamente R$ 24 bilhões e 992 milhões, sendo que 25% desse total são destinados à reforma e construção dos estádios de futebol.

Monitoramento dos impactos

O projeto de pesquisa, coordenado pelo Observatório das Metrópoles, tem como propósito a elaboração e aplicação de instrumentos de monitoramento dos impactos relacionados à Copa do Mundo de 2014 e aos Jogos Olímpicos de 2016 na estrutura urbano-metropolitana das cidades-sedes. A metodologia utilizada é qualitativa e quantitativa, tendo por base a observação e análise do contexto atual dos megaeventos, aliada à comparação com experiências anteriores tanto no Brasil (XV Jogos Pan-Americanos em 2007) quanto em outros países, a partir de revisão bibliográfica e da utilização de fontes primárias, de maneira a fomentar uma postura crítica frente aos processos sociais verificados.

Para a realização da análise, os pesquisadores utilizarão quatro eixos estreitamente ligados à inserção da população nos seguintes contextos de transformações territoriais, a saber: (1) Desenvolvimento Econômico; (2) Equipamentos e Serviços Urbanos Sociais; (3) Moradia e Dinâmica Urbana e Ambiental; e (4) Governança Urbana e Metropolitana.

De acordo com o coordenador da pesquisa relacionada ao Eixo 1: Desenvolvimento Econômico, professor Orlando Alves Júnior, o objetivo é monitorar os impactos econômicos sobre as metrópoles do ponto de vista da integração social e da justiça social; identificar os setores e os agentes que estão sendo beneficiados pelas intervenções, bem como os setores e agentes que sofrem efeitos negativos decorrentes das mesmas. Os resultados previstos referem-se à descrição dos processos de dinamismo econômico, processos de concentração/desconcentração econômica, aumento sobre a dívida pública, sustentabilidade dos investimentos sociais, entre outros.

Na rubrica “Orçamento” do Eixo 1, a pesquisa vai identificar os custos previstos nos projetos da Copa e das Olimpíadas, observando (i) aqueles decorrentes das exigências de investimentos dos organismos internacionais, e sua composição (setor público e setor privado), bem como os custos efetivamente realizados no decorrer da intervenção; (ii) aqueles previstos para os demais projetos complementares, identificando o tipo de investimento e a sua composição (setor público, setor privado) bem como os custos efetivamente realizados no decorrer da intervenção.

Veja a seguir os dados sobre os investimentos por setores econômicos para a Copa 2014. As fontes utilizadas são do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e Portal da Transparência – Governo Federal (http://www.portaltransparencia.gov.br/copa2014/)

Investimentos por setores econômicos

¹Investimentos não vinculados às cidades-sede (Cultura: 3 milhões;Desenvolvimento Turístico: 40,1 milhões; Esporte: 29,3 milhões; Promoção Comercial e Tecnológica: 15,2 milhões)

 

O valor previsto para a reforma e construção dos estádios de futebol representa cerca de 25% do total de investimentos previstos para a Copa. Um observação importante se refere ao aumento da previsão inicial (2007) do custo de construção e remodelação dos estádios, em torno de R$ 1,9 bilhão.

Os contratos estabelecidos para a construção e/ou reforma dos estádios indicam que há uma relativa distribuição das obras pelas maiores empreiteiras do país, com uma certa concentração em três grandes empresas: Odebrecht (4), Andrade Gutierrez (3) e OAS (2). A divisão das obras pelas empresas é a seguinte:

Odebrecht (Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo) – 4
Andrade Gutierrez (Brasília, Manaus, Rio de Janeiro) – 3
OAS (Natal, Salvador) – 2
Detronic Desmontes (Belo Horizonte) – 1
Terraplanagem Ltda (Belo Horizonte) – 1
Via Engenharia (Brasília) – 1
Delta (Rio de Janeiro) – 1
Santa Bárbara (Cuiabá) – 1
Mendes Junior (Cuiabá) – 1
Galvão Engenharia (Fortaleza) – 1
Serveng (Fortaleza) – 1
BWA (Fortaleza) – 1

Os custos por estádio indicam que as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo (ainda com dúvidas em relação ao real valor dessa obra), Salvador, Brasília, Belo Horizonte e Fortaleza como as mais beneficiadas pelos investimentos.

Os investimentos por cidade são os seguintes:

Belo Horizonte Copa 2014
Reforma do Estádio Mineirão
67 mil pessoas
R$ 684,1 milhões
Empresa contratada: Detronic Desmontes e Terraplanagem Ltda

Brasília Copa 2014
Reforma do Estádio Mané Garrincha
71 mil pessoas
R$ 745,3 milhões
Empresa contratada: Via Engenharia e Andrade Gutierrez

Cuiabá Copa 2014
Construção do Estádio José Fragelli (Verdão)
42,5 mil pessoas
R$ 454,2 milhões
Empresa contratada: Santa Bárbara e Mendes Junior

Curitiba Copa 2014
Reforma e ampliação do Estádio Arena da Baixada
41,375 mil pessoas
R$ 184,6 milhões
Empresa contratada: obra ainda não licitada.

Fortaleza Copa 2014
Reforma do Estádio Castelão
44,3 mil pessoas
R$ 623 milhões
Empresa contratada: Galvão Engenharia, Serveng e BWA
Modalidade: PPP (a confirmar)

Manaus Copa 2014

Construção do Estádio Arena da Amazônia (Vivaldão)
48 mil pessoas
R$ 515 milhões
Empresa contratada: Andrade Gutierrez

Natal Copa 2014
Construção do Estádio Arena das Dunas
45 mil pessoas
R$ 528 milhões
Empresa contratada: OAS

Porto Alegre Copa 2014
Reforma do Estádio Beira-Rio
61 mil pessoas
R$ 130 milhões
Empresa contratada: ainda sem informação

Recife Copa 2014
Construção do Estádio Arena Pernambuco
46 mil pessoas
R$ 529,5 milhões
Empresa contratada: Odebrech

Rio de Janeiro Copa 2014
Reforma do Estádio Maracanã
76 mil pessoas
R$ 931,9 milhões
Empresa contratada: Andrade Gutierrez, Delta e Odebrecht

Salvador Copa 2014
Reconstrução do Estádio Arena Fonte Nova
50 mil pessoas
R$ 786,06 milhões
Empresa contratada: Odebrecht e OAS
Modalidade: PPP – Projeto Nova Fonte Nova (composta pela Odebrecht Investimentos e Infra-Estrutura Ltda e a Construtora OAS Ltda). Além da reconstrução, a PPP envolve a exploração econômica, pelo período de 35 anos, dos bens móveis e imóveis que integram o Estádio Fonte Nova, quais sejam:

ARENA MULTIUSO:
– Capacidade para 50 mil pessoas;
– Cobertura de estrutura metálica leve;
– 2500 assentos VIP’s;
– 50 camarotes com 1000 assentos;
– Área de imprensa;
– 46 bares;
– Restaurante panorâmico;
– 62 banheiros;
– Museu do Futebol;
– 1800 vagas de garagem.
ENTORNO – Exploração do Entorno da Arena Multiuso, a título de receitas acessórias, com as seguintes potenciais atividades:
– Hotelaria;
– Shopping Center;
– Casa de Shows;
– Prédios Comerciais;

São Paulo Copa 2014
Estádio Itaquerão (Sport Club Corintians)
R$ 400 a 820 milhões (dependendo da Fonte)
Empresa contratada: Odebrecht
Fonte: 4/9/2011 11:44, Redação ABr – São Paulo

Fonte: http://web.observatoriodasmetropoles.net/index.php?option=com_k2&view=item&id=47:qual-o-valor-da-copa?&Itemid=164&lang=pt

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s