“Rugido” de Aldo escancara racha entre gestão Dilma e Fifa na organização da Copa-2014

Do UOL, em São Paulo.

Sempre político e com fala pacata, o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, teve uma mudança repentina de comportamento ao pedir a quebra das relações do governo com o secretário-geral da Fifa (Federação Internacional de Futebol), o francês Jérôme Valcke, na organização brasileira para a Copa do Mundo de 2014.

A atitude do ministro, às vésperas da chegada do maior crítico do andamento estrutural do país para visitar as cidades-sedes, escancara um racha nas relações entre o governo nacional sob o comando de Dilma Rousseff com a entidade máxima do futebol.

O Brasil obteve o direito de ser sede do Mundial em outubro de 2007, na gestão de Luiz Inácio Lula da Silva, que sempre buscou ter uma relação amistosa com a cúpula da Fifa.

LEIA MAIS SOBRE A POLÊMICA COM VALCKE

Em 2009, o presidente do órgão, o suíço Joseph Blatter, até veio ao país para condecorar Lula com uma flâmula da Fifa “em reconhecimento à sua contribuição ao futebol”. O brasileiro também procurou não entrar em divididas com Valcke durante as inúmeras alfinetadas do francês em relação a atraso nas obras.

O ex-ministro do do Esporte Orlando Silva acompanhava a política presidencial da gestão Lula e sempre evitou rebater as críticas. Após ouvir de Valcke que o país estava com “sinal vermelho” e com atraso “incrível”, Silva disse que o país deveria dar uma resposta apenas “com mais trabalho”. A relação com o ministro chegou a ser classificada como “excelente” pelo francês.

Mas, desde que Dilma Roussef assumiu o governo nacional, os diálogos com a Fifa ficaram mais duros. Durante os sorteio das eliminatórias da Copa, no ano passado, em seu primeiro contato público com a entidade, a presidente fez questão de mostrar uma relação fria.

Tratou o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira, de maneira apenas formal, ao contrário do que fez com Pelé, por exemplo, no evento. No mesmo dia, o dirigente máximo do futebol brasileiro, “queridinho” da Fifa, era exaltado e parabenizado por Valcke “por tudo que fez pelo futebol brasileiro”.

http://storage.mais.uol.com.br/embed.swf?mediaId=12561156&ver=1

Dilma também entrou em rota de colisão com a Fifa após rejeitar diversos pontos da Lei Geral da Copa por classificá-los como muito permissivos. Outros pontos, como a cobrança de meia-entrada para estudantes e idosos, ainda não foram acertados. Ela chegou até a ir para Bruxelas (Bélgica) para uma conversa pessoal com Valcke.

Rebelo assumiu o ministério em outubro do ano passado e sempre procurou até então responder cordialmente às críticas da Fifa.

Mas, no último sábado, demonstrou feição e discurso bem mais fortes.

“Não pode ser ele quem emite declarações infundadas e intempestivas”, falou. “Não podemos receber de volta da Fifa um comentário de ofensa pessoal. Imagina alguém dizer que vai fazer isso [chute na bunda] com sua família, com seu clube, com sua sociedade. Imagina com o país. Não pode”, continuou.

Obras para a Copa de 2014

Anúncios
Esse post foi publicado em copa 2014, Reportagens e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s