Críticas da Fifa por obras da Copa são imprecisas, diz ministro

Por Hugo Bachega | Reuters – seg, 27 de jun de 2011

BRASÍLIA (Reuters) – As novas críticas da Fifa sobre os preparativos do Brasil para a Copa do Mundo de 2014, incluindo o ritmo das obras em estádios e aeroportos, são uma “visão imprecisa” de quem acompanha os trabalhos de longe, disse nesta segunda-feira o ministro do Esporte, Orlando Silva.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, voltou a criticar na semana passada o andamento de obras nos estádios do Mundial e na modernização e ampliação da infraestrutura do país, incluindo sistemas de transporte e aeroportos.

“Essa é uma manifestação de quem desconhece o Brasil e acompanha remotamente a preparação do país… As posições expressam uma visão imprecisa sobre o que acontece no Brasil”, disse Silva a jornalistas após reunião de coordenação com a presidente Dilma Rousseff.

A preparação brasileira para a Copa do Mundo tem sido bastante criticada tanto dentro quanto fora do país, que voltará a realizar um Mundial pela primeira vez desde 1950.

O novo estádio do Corinthians, que será construído em São Paulo, já foi descartado para a Copa das Confederações de 2013 porque não ficará pronto a tempo, enquanto várias obras, incluindo a reforma do Maracanã, sofreram aumento de custos.

Segundo Silva, o clube paulista espera assinar contrato com a Odebrecht ainda nesta semana e haverá uma redução “muito significativa” do valor previsto para a construção do estádio.

O ministro reconheceu que o país precisa melhorar a infraestrutura dos aeroportos, mas disse que a questão dos terminais teve uma “evolução nítida”.

Em maio, o governo anunciou a concessão dos aeroportos de Guarulhos (SP), Viracopos (SP) e Brasília para modernização e ampliação destes terminais.

A Infraero, estatal que administra os aeroportos, estima que os 12 aeroportos que serão utilizados pelas cidades-sede da Copa receberão investimentos de 5,6 bilhões de reais até 2014.

A reunião de coordenação da presidente Dilma com alguns ministros teve tema central a aprovação do Regime Diferenciado de Contratação (RDC) para a Copa e a Olimpíada de 2016, que prevê que o orçamento estipulado para uma determinada obra só será divulgado publicamente após o encerramento da licitação.

(Reportagem de Hugo Bachega)

Fonte: Yahoo Notícias

Anúncios
Esse post foi publicado em Reportagens e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s